segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Entrado em Forma


De frente para o espelho eu podia ver o quanto já havia progredido.
Eu vivia pegando no pé de minha irmã Rita, pois desde que havia se tornado mãe solteira havia engordado e deixado de se cuidar. Eu pelo contrário sempre frequentei academia e estava com o corpo bem legal. Mas ela sempre dizia que não conseguia, não nasceu para fazer exercícios, e que para um homem é sempre mais fácil.
Até que um dia depois de discutir com ela, começou a dizer umas palavras que não entendi. O que ocorreu em seguida foi que me vi em seu corpo, enquanto ela havia passado para o meu. Ela explicou então que eu deveria colocar o corpo dela em forma, já que para mim era tão fácil, e depois disto ela desfaria a troca.
Querendo voltar logo para o meu corpo, comecei uma dieta e a frequentar a academia todos os dias. Era muito estranho no começo andar por aí como mulher, ainda mais em roupas de ginástica, mas com o tempo me acostumei. No começo também ficava empolgadíssimo no vestiário feminino, mas isto também foi passando, afinal agora eu tinha o mesmo que elas.
O que aconteceu neste tempo também, foi que acabei por gostar de alguns aspectos da vida dela. Passei a amar a sua filha, e ao mesmo tempo a me dar bem com Rafael, o pai dela. Ele vinha visitar a menina nos finais de semana, e conversávamos muito.
Rita pelo que percebi estava bem acostumada ao meu corpo, apesar de agora ter uma barriguinha saliente. Ela saía todo final de semana com meus amigos, e pelo jeito se tornou o cara que mais "pegava mulher" da turma.
Certo dia confessei a ela que não tinha certeza de querer destrocar, e para minha surpresa ela disse que pensava o mesmo.
Meses depois eu estaria provando um vestido de casamento. Eu e Rafael nos tornaríamos uma família e nunca havia me sentido tão feliz.



A Moeda Mágica


Samuel enfrentava mais uma segunda-feira. Saindo do metrô viu um objeto reluzente na calçada, e ao apanhá-lo  descobriu se se tratar de uma moeda antiga. Guardou no bolso para quem sabe lhe dar sorte.

Chegou cedo no trabalho e havia uma pilha de documentos em sua mesa. A mesa de sua colega Patrícia por outro lado estava vazia.
Muito tempo depois a moça chega toda arrumada. O chefe passou por ela e não disse nada pelo atraso, simplesmente elogiou a aparência dela. Era uma mulher bonita e sabia usar isso a seu favor, tanto que já havia conseguido mais de um aumento enquanto Samuel recebia o mesmo salário desde o seu primeiro dia. Isso o deixava inconformado.
De repente se lembrou da moeda que havia encontrado mais cedo. Pegou a em seu bolso e começou a manipular enquanto pensava.
-Puxa. Gostaria que as coisas fossem tão fáceis para mim quanto para ela.
Neste momento algo aconteceu. Foi como se ele apagasse e voltasse logo em seguida. Continuava em sua mesa, mas parecia que algo estava fora do lugar.
Em seguida notou cabelos claros e compridos caindo sobre o rosto, e ao tirá-lo dos olhos viu suas unhas compridas e pintadas de branco. Assustado, ele quase caiu ao se levantar e mal se equilibrar nos saltos que agora usava. Foi quando viu também que usava saia e uma blusa feminina; Ao tocar seu peito pôde sentir seios médios seguros por um sutiã.
Neste momento o chefe sai da sala e olha para ele. Sem graça, Samuel não sabia o que dizer. Como explicar que estava usando roupas de mulher.
-Está tudo bem Samanta? - Perguntou o homem.
-Eu-eu...Samanta?-Disse Samuel espantado com sua voz agora aguda.
-Sim, é o seu nome não é? Parece confusa.

De algum modo o chefe reagia naturalmente, como se Samuel sempre tivesse sido uma mulher chamada Samanta. Ele então decidiu fingir até descobrir o que acontecia.

-Não. Está tudo bem chefe. Só um pouco cansado, quero dizer cansada.
-Tadinha. Então pode ir para casa. Peço para um dos rapazes fazer a sua parte hoje. Amanhã não chegue muito tarde, pois vamos discutir sobre sua carreira aqui na empresa.
-Sim chefe. Obrigada!

domingo, 13 de janeiro de 2019

Novo Corpo


...Não, não pode ser. É você mesmo?
-Sim sou eu cara. O Arnaldo!
-Quando disse que tinha visitado a tal clínica de troca de corpos achei que era apenas curiosidade. Não imaginei que você estava a fim de trocar, ainda mais por...
-Uma garota? Pois é. Na verdade este era o meu sonho desde criança, e quando soube da nova tecnologia de troca de corpos descobri que poderia realizá-lo. Depois de entrevistas, eles te mostram o cadastro de pessoas que querem trocar, cujo corpo desejado é parecido com o da gente.
-E você escolheu este?
-Sim, quando vi a foto sabia que seria meu. Morena, jovem, linda. Era tudo o que eu queria. E graças ao meu corpo malhado ela aceitou na hora também. Aí foi marcar o dia, e horas depois eu saía da clínica como Mariana.
-E como se sente?
-Como me sinto? Olhe só pra mim. Me sinto maravilhosa. Ser mulher é bom demais!
-E você agora vai sair com, tipo, outras garotas?
-Bom, como homem eu era hétero e agora vou continuar.
-Quer dizer que...
-Sim, quero sair com homens agora. Alias, era sobre isso que eu queria conversar. Soube que terminou com a sua namorada, né?....

sábado, 12 de janeiro de 2019

Crossdresser


Roberto era crossdresser desde criança, e depois de casado sempre que podia ele experimentava as roupas da esposa escondido.
Mas de repente as roupas passaram a lhe servir cada vez melhor. Estava mais magro, a cintura afinava e peitinhos passaram a preencher o sutiã.
O que ele não sabia é que a esposa havia descoberto seu segredo, e ao invés de confrontá-lo ela resolveu lhe dar uma lição. Passou a colocar hormônios femininos e bloqueadores de testosterona em sua comida. Logo ele não mais tinha ereções, mas isto não a incomodou pois já havia arranjado um amante.

O preço da Liberdade


Meu plano era perfeito para escapar da cadeia.
Primeiro arranjei problemas com uma das gangues, o que fez o diretor me colocar na solitária. Então paguei o carcereiro que trazia drogas para os presos, para me trazer um outro tipo de produto: estrogênios.
Por baixo das roupas largas meu corpo ia mudando, ganhando curvas, seios e bunda, até eu perceber que estava pronto. Uma pequena confusão que paguei para acontecer no dia de visitas foi o suficiente para que pudesse sair pela porta de frente do presídio, como uma das visitantes. Os guardas olharam par meus peitos e bunda, jamais desconfiando que era eu por baixo da maquiagem e da peruca loira.

O problema é qe fiquei perfeita. Perfeita demais.
Um dos guardas ficou interessado naquela mulher de vermelho, e tentou encontrar o telefone "dela" através das fotos  tiradas no momento do registro. Quando não a encontrou ficou desconfiado e, junto com um outro agente foi atrás de mim. Ao vê-los se aproximando tentei correr, mas com aqueles saltos foi fácil ser alcançado. Tudo estava acabado. Voltaria para a prisão e teria a pena aumentada.

-Nossa como ela  ficou gostosa eim!
-É verdade cara. Como conseguiu esconder isso da gente? Mas agora quando voltar o diretor provavelmente vai ter tirar da solitária para te punir. Imagine o que os outros detentos vão fazer com você quando te verem assim.
-Não. Por favor não façam isso. Eles vão me matar.
-É verdade. Nossa, até sua voz é de mulher.Assim dá dó. Talvez possamos entrar em acordo então...
Um olhou para o outro e se entenderam de imediato. O policiam me levou para uma clareira no mato, me desamarrou e começou a tirar a calça. Imediatamente entendi qual seria o acordo.
Na prisão, sendo um cara magro e franzino, cheguei a fazer algumas coisas assim para não morrer. Não era a hora de recusar.
Então comecei a chupar aquele pau como se minha vida dependesse daquilo, e dependia mesmo.Não sei se era pela situação, por estar perto da liberdade ou por parecer e me sentir mulher, mas não foi nem um pouco ruim, pelo contrário, foi gostoso!

Os dois então se revesaram e transaram comigo por muito tempo. Depois se vestiram e foram embora me deixando ali. Fiquei deitado ali descansando e entendendo o que havia acontecido.
Não foi o que planejei, mas apesar do susto foi bem interessante. Talvez eu devesse continuar com os hormônios e permanecer daquele jeito, como mulher.
Além de ser mais difícil me acharem, aquela aparência se mostrou ter vantagens muito interessantes. Além do mais o dinheiro que tinha fora da prisão estava quase no fim, e precisaria de uma fonte de renda. Sem documentos e com aquele corpo, havia uma forma certa de me manter.Virar garota de programas.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Infiltrado


-Bem agente Ângelo, está tudo certo para começar o seu trabalho infiltrado?
-Sim senhor.
-Pelo que vejo vem tomando o feminilizante como intruido. Está se sentindo bem?
-Estou ótimo.
-É "ótima" agora. Lembre-se de se referir a si mesmo como do sexo feminino daqui pra frente.
-Certo. Ficarei "atenta".
-Muito bem.

-Esta é Cassandra. Como vai se passar por uma dançarina de boate, pagamos esta moça para lhe ensinar como agir.
-Mas Sargento, eu já fui a boates e seu como é.
-Foi como homem, mas agora será bem diferente. Tem que saber como funciona para as garotas, lidar com os chefes e clientes. Ela será sua mentora e deve fazer tudo o que disser.
-Nossa você é bem gostosa colega. Vai fazer sucesso com os homens. Só precisamos te botar umas roupas certas, mudar este jeito de macho. Vai faturar alto.
-Esquece. Só quero saber o básico e..
-Ângela! O que foi que eu disse?-Falou o sargento em um tom mais alto.
-Esta bem. Farei o que ela disser.

Magia da Sogra


-Me sinto ridículo - Disse Luis, agora Luisa.
-Desculpe querido, sei que desta vez minha mãe foi longe demais usando magia para te transformar em mulher. Mas também você provocou.
-Ela se mete demais na nossa vida, e tive de mostrar quem era o homem da casa.
-Pois é, mas agora nem homem você é mais né?
-Ela disse quanto tempo ficarei deste jeito?
-Cerca de um mês. Desde que não transe com homem.
-Claro que isto não vai acontecer. Imagine eu transar com homem...
-Com certeza. Agora precisamos ir até o shopping. Apesar de termos o mesmo sexo, suas medidas são diferentes das minhas, e vai precisar de roupas novas.